TREINAMENTO AERÓBICO EM JEJUM OU AEJ

Willian Celson Bodybuilding Gourmet Blogger
SMOOTHIE – CAFé COM WHEY DE CHOCOLATE.
30 de março de 2016
Fatos Sobre o Jejum Intermitente
JEJUM INTERMITENTE – NOVA ESTRATéGIA PARA EMAGRECIMENTO?
14 de abril de 2016

TREINAMENTO AERÓBICO EM JEJUM OU AEJ

timthumb

O treinamento aeróbio em jejum ainda é uma prática considerada

muito polêmica, mas que vem sendo utilizada por muitos treinadores do

mundo todo com o objetivo de reduzir a composição corporal em atletas e

no público em geral. Vários estudos têm mostrado que a prática de exercício

físico em jejum leva à economia de glicose e uma maior utilização de

gordura durante a atividade e algum tempo após seu término. Sabe­se que

a principal fonte de energia para o nosso organismo é o carboidrato, ele é o

principal meio para a produção de Adenosina Trifosfato. Ao realizar

atividade física em jejum, esse estoque de carboidrato, ou seja, o glicogênio

muscular estará em baixa e levará o organismo a utilizar a gordura como

fonte primária de energia.

De acordo com a literatura, no estado de jejum, devido à baixa

reserva de glicogênio e a conseqüente reduçāo na participação da via

glicolítica ̧ a fonte predominante de energia será as gorduras ̧ por meio da

beta­oxidação, ou seja, os triglicerídeos são quebrados em glicerol e ácidos

graxos e este último é convertido em Acetil CoA para posterior entrada no

ciclo de Krebs e oxidação (CHAMPE ̧ HARVEY ̧ FERRIER ̧ 1996). A

literatura científica comprova que durante o aeróbio em jejum a presença de

glicerol e ácidos graxos livres no sangue é significativamente maior do que

no estado alimentado ̧ reflexo da maior participação de gorduras (BOCK ̧

RICHTER ̧ RUSSEL et al ̧ 2008; PACY ̧ BARTON ̧ WEBSTER ̧ GARROW ̧

1985). Porém na prática os resultados acerca dos efeitos do jejum sobre a

oxidação de gorduras ainda são contraditórios.

Segundo os estudos o horário muito eficiente de se realizar

aerobiose para queima de gordura seria ­ o primeiro ­ logo pela manhã ao

acordar. Alguns estudos promovidos pelo pesquisador sueco Torbjorn

Akerfeldt apontam ser possível solicitar três vezes mais gordura se

exercitando pela manhã, em jejum, comparado à mesma atividade

promovida no período da tarde após refeições, Tobjorn ainda recomenda

pelo menos seis horas de jejum antes da atividade, nessa situação, acredita

Akerfeldt, que o organismo não tenha muito glicogênio estocado para ser

solicitado como fonte de energia, ou seja, teria que ir direto aos depósitos de

gordura para fornecimento de energia para que se possa completar a

atividade. Mais interessante ainda foi sua observação de que a proteína

degradada diminuiu ao invés de aumentar durante a aerobiose em jejum

(GUIMARÃES NETO e PERES, 2007).

Ficou claro nas colocações dos autores que realizando atividade

aeróbica em jejum, o praticante manipula o exercício de uma forma em que

obriga o seu organismo a utilizar a gordura como fonte primária de energia e

o melhor, com catabolismo em quase zero, reduzindo de forma mais

eficiente o percentual de gordura corporal.

Para otimizar o processo de perda de peso, foi observado que os

exercícios de resistência muscular combinados com o exercício aeróbio,

pareceram alcançar os maiores resultados nos programas de perda de

peso, por auxiliar no aumento da taxa metabólica de repouso, manter e/ou

aumentar a massa muscular e otimizar os índices de mobilização e

utilização de gordura durante o emagrecimento. (HAUSER et al. 2004)

A atividade aeróbia em jejum é mais indicada para quem tem como

objetivo a redução de gordura corporal e já é considerado um individuo

TREINADO, para aqueles que querem emagrecer , outros métodos são

mais indicados como ficar em jejum de carboidrato por 1 hora pós atividade

fisica, realizar atividades de curta duração com alta intensidade (HIIT) para

gerar um maior efeito EPOC ( consumo de oxigênio pós exercício ) pós

treino, dieta hipoglicidica e entre outros.

Algumas dicas importantes nesta atividade referem­se à utilização

de algum termogênico antes do aeróbico a fim de potencializar a lipólise

(queima de gordura) ̧ a ingestão de 500 ml de água para prevenir

desidratação ̧ pois a água drena fluidos para dentro da célula e evita a

quebra protéica; e a administração de aminoácidos de cadeia ramificada

(BCAA) anteriormente com o objetivo de diminuir o catabolismo protéico e a

espera de 20 a 30 minutos para realizar a primeira refeição do dia após esta

atividade ̧ pois o organismo continua a utilizar ácidos graxos após o

exercício durante este tempo. Como confirma a Nutricionista Daniela

Carvalho: “se o individuo quer preservar a massa muscular ele pode tomar o

BCAA pré­atividade, mas consciente de que terá a oxidação de triglicérides

reduzida já que o organismo terá o BCAA como fonte de energia. Água esta

liberada e é muito indicada antes, durante e pós treino.”

Além de ser muito mais fácil e prático fazer 20 minutos de aeróbio

em jejum do que fazer 1 hora e meia de aeróbio alimentado. Treine com

inteligência e otimize os resultados!!!!

ALESSANDRA PIU

Educadora Física CREF 010522­G/RS

Especialista em Pilates e Exercícios na Clínica Médica/ UNIFESP

Atleta Body Fitness Master ­ Campeā Overall Brasileira IFBB

@alepiu_bodyfitness

alessandrapiu_ifbb@hotmail.com

11­982242276